Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

letras de liberdade

Blog com letras minhas e letras das leituras que vou fazendo.

letras de liberdade

Blog com letras minhas e letras das leituras que vou fazendo.

Sabes, eu penso em ti. Ontem senti o teu cheiro vindo do estendal. Levantei-me e ouvi os teus passos. Não te vi, tinha a janela fechada. Eu podia ter aberto essa porta que não serve para entrar, nem deixa sair, mas para quê fazer isso? Não te preciso ver para te saber. Sabes, eu penso em ti. Penso cada vez mais em ti. Mas sei que não virás. Não és capaz, pois não? Não és capaz de vires até mim, eu que te espero desde sempre. Andas aí às voltas, sim eu sei que andas, e que pegas este e aquele, mesmo à minha porta! Eu ouço quando pisas as folhas e os ramos secos perdidos no jardim. Devias entrar aqui em casa e depois levares-me contigo. Leva-me contigo!


Levantando-se, pegou na pistola e sentiu que o sol brilhava dentro de si, soube que hoje tudo teria um começo, hoje seria o dia. Não há nada mais verdadeiro e puro que esta falta de vontade, pensou. Dali andou uns passos até à janela, segurando firmemente a arma e abrindo as persianas exclamou, Quero-te e hoje vais ser minha. Não me foges mais!

Foi a ultima palavra. Ou terá sido a primeira? Caiu morto no chão. A bala foi o seu primeiro beijo.

 

4eeeb9eee118647bdac946a72623a820.jpg