Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

letras de liberdade

Blog com letras minhas e letras das leituras que vou fazendo.

letras de liberdade

Blog com letras minhas e letras das leituras que vou fazendo.

O nevoeiro teima em não se levantar, deitou-se sobre Provezende e aqui repousa, qual bela adormecida. Príncipe Sebastião, a ti imploramos, volta e beija-lhe os lábios para que essa bela se levante. Enquanto não chegas, ao sol não o vemos há semanas e o gelo instalou-se nas teias de aranha, outrora discretas, mas que hoje saltam à vista e espantam a freguesia. A aranha, danada para a brincadeira, leva à letra aquela história das oportunidades de vida nova e já comprou uns patins de gelo. Ao passo que o nevoeiro não se levantar, será giro vê-la patinar nas suas teias.